FregaBlog

domingo, dezembro 29, 2013

2013 O Ano em que o Medo foi Vencido

O ano começou com um massacre midiático em torno da AP 470. Disse antes e reafirmo: inocentes, não os há na política brasileira. Com raríssimas exceções, os políticos colocam em prática o pior no modelo político desenhado e formulado para que induzisse a troca de favores, de votos. Um modelo que previa a supremacia do Congresso, mas manteve a rédea nas mãos do Executivo, forçando somente que a cooptação se tornasse essencial para governabilidade.
Um modelo que judicializa a política, em que os magistrados maiores são indicados politicamente. Um modelo que fortaleceu um tribunal de exceção - os de contas - que sequer fazem parte do poder judiciário.
Um modelo que impede a qualquer gestor público  tomar uma decisão, sob pena de ser responsabilizado por ela. E para isso, fortaleceu uma estrutura de poder paralela, o Ministério Público, que tudo pode e de nada é cobrado.
Um ano que começou com um condicionamento da opinião de que tudo é corrupção.
Um ano em que uma massa alienada foi às ruas com palavras de ordem e sem bandeiras reais. E que promoveu baderna e transtornos, como se estivesse numa primavera árabe, sem realmente ter um foco. E que foi manipulada por interesses puramente eleitoreiros, tentando fulanizar insatisfações.

Um ano em que a mídia julgou e condenou, como sempre, de acordo com o interesse de seus patrocinadores.
Um ano em que as catástrofes foram anunciadas por má-fé, na tentativa de gerar o fato. E repercutida por tantos de boa-fé, mas que desenvolveram análise crítica deficiente.
Começou com uma inflação do tomate. Nunca na história deste país (rsrs) o tomate fez tanta falta. Parecia que a população morreria à míngua sem tomates e, claro, foi dado como um exemplo do fracasso das políticas públicas. Não colou, pq a situação climática que motivou a perda de algumas colheitas era transitória. E os arautos do caos não levaram em conta que o tomate é uma planta com ciclo curto de produção.
Suprida a população de tomates, outro ponto deveria ser divulgado para manter o medo aceso. Os argumentos foram os mais variados. A cada momento, um novo, porque a oposição, infelizmente, está mais errática do que mosca de padaria. Ora era o juro irreal, a inflação descontrolada, o ataque à moeda, a Bolsa que não rende mais o que os especuladores gostariam. O caos fiscal, o desgoverno.

Para desespero de alguns, a população não acreditou.

Em 2013, a população mostrou que não tem mais medo de bichos-papões. Não mais se deixa conduzir com ameaças. E essa foi a grande vitória.
Não conseguiram convencer na balela de que os médicos cubanos seriam terroristas infliltrados, que a Bolsa Família objetivava compra de votos, que há um sórdido plano comunista, gramciano, a preparar um golpe ditatorial.
Um ano em que o medo foi vencido.
Está tudo perfeito? Claro que não.
Há falhas de gestão, sim. Há uma disputa de cachorros pelo osso do poder, surda, que se desenvolve nos bastidores do Congresso e Judiciário, especialmente.
Há um erro monumental da política indigenista, que poderá gerar uma guerra étnica. Há uma irrealidade criminosa na instituição de quotas raciais. Há uma permissividade com a ditadura imposta pelos traidores assentados na FUNAI, INCRA e IBAMA, que agem politica e ideologicamente descolados da população.
Há um inchaço na administração pública, e isso em todos os níveis federados. Não foi tratado o direito de greve em atividades essenciais e do funcionalismo e nem o desequilíbrio gerado pelos dois sistemas previdenciários, contrastantes.
Há que se acelerar a real implementação de um sistema público universalizado de saúde. A atualização do Código Penal como elemento de combate à violência, embora os ritos sejam limitados em sua agilização pela cláusula pétrea constitucional.

Enfim, há muito a fazer e se conquistar para nosso país. Mas há também um fato novo.
Em 2013, os brasileiros venceram o medo.

segunda-feira, dezembro 23, 2013

Fulanos Contra Corrupção

Passados já 6 meses das movimentações difusas, que começaram em protesto contra o aumento das tarifas de transporte e ampliaram seu leque contra tudo, podemos extrair algumas lições.
A primeira delas é a habilidade de grupos quanto a trazer a si o comando de mobilizações. Sempre com oculta intenção política travestida de movimento espontâneo.
A segunda é quanto ao esgotamento natural dessas mobilizações, pelo desgaste e exaustão. Quanto mais difusos os protestos, mais rapidamente se encerram. No momento em que as marchas adotaram palavras de ordem tipo contra corrupção, sem nominar os corruptos e seus atos, caíram no vazio. Pois que ninguém é a favor da corrupção genérica e menos ainda da específica. Exceto os que desejam manter o sistema político híbrido da Constituição de 88, fonte real da impunidade e corrupção consentida e, de certa forma, inerente ao modelo.
A terceira, e essa é a mais patética de todas, foi a proliferação de grupos nas redes sociais que tentaram surfar na onda de protestos e dispõem-se a "combater" a corrupção. Gente olhando seu próprio umbigo e reforçando somente suas convicções políticas pessoais. Gente generalizando adversários como corruptos e omitindo corrupção de seu próprio alinhamento.
Gente com uma alienação de fazer pena, pseudo-intelectuais desonestos, anões políticos, ignorantes de 4 costados, ainda que letrados.
Neles, uma platéia de gente com quase nula capacidade de análise crítica, de ver a doença além dos sintomas. Gente predisposta a se aterrorizar com fantasmas sugeridos e habilmente plantados por agentes de interesses ocultos.
Gente boa, em sua maioria, mas incapazes de pensar.
Filhos e netos de uma geração que teve sua liberdade de pensamento e desenvolvimento crítico limitado por um período de governos de exceção. Que acredita nas opiniões publicadas, que não consegue ver nos editoriais os interesses dos patrocinadores.
Nesse circo pequeno, desperdiça-se uma massa de inteligência que seria capaz de revolucionar o Brasil. Inteligência essa que se autolimita a mesquinharias e acusações vazias, a palavras de ordem  chochas, como se fossem essas os reais problemas da Pátria.
Faz pena!.

segunda-feira, dezembro 09, 2013

Dignidade Ferida

Há 70 anos, contingentes de compatriotas foram engajados numa guerra cruel. Muitos lá ficaram, Pistóia é testemunha.
Embora por motivos diversos dos oficiais, um dos dois regimes de terror - o nazista e o stalinista - foi derrotado. Vieram à tona os crimes cometidos por uma organização tentacular chamada Schutzstafell, mais conhecida como SS, cognominada de Ordem Negra, título aliás do livro publicado por Heinz Hohne em que disseca como essa organização paramilitar se infiltrou e foi agente do terror nazista.
Participar da SS não era para qualquer um. Havia exigências comportamentais e a necessidade de comprovação de raça ariana por gerações. Os ritos de passagem, inspirados na mitologia germânica e com clima de magia criados por Himmler, exigiam um juramento de sangue. Esse juramento era Meine Ehre heißt Treue, significando Minha honra chama-se lealdade.
É desnecessário ficar falando sobre a SS. É por demais conhecida. E nosso exército sempre se orgulhou de combatê-la e contribuir para sua aniquilação.

Pois bem. Por que tudo isso?

É que vi um post no Facebook atribuído ao Gen. Mário Márcio von Brenner, do Exército brasileiro, prevendo um cenário de terror. Chamou-me atenção e resolvi ler o comentário na íntegra. Reproduzo:

"ECONOMISTAS INDEPENDENTES JÁ TRAÇAM UM CENÁRIO DE UMA DESORDEM ECONÔMICA NO PAÍS EM 2014/2015 QUE NOS LEVARÁ A UM CAOS SOCIAL. O DESGOVERNO DILMA JÁ SABE DISSO E APOSTA TODAS AS SUAS FICHAS NO SUBORNO DOS IGNORANTES E DOS ESCLARECIDOS CANALHAS, DE TODAS AS FORMAS POSSÍVEIS, POIS SENDO REELEITA NINGUÉM PODERÁ CONTESTAR SUAS DECISÕES E ENTRAREMOS EM BREVE EM UMA GUERRA CIVIL, POIS EXISTE UMA BOLHA CRESCENTE DE INSATISFAÇÃO QUE PODERÁ EXPLODIR A QUALQUER MOMENTO, PROVOCANDO UM CONFRONTO ENTRE OS QUE NÃO CONCORDAM COM O LEVANTE COMUNISTA NO PAÍS E AS GUERRILHAS QUE ESTÃO SENDO PREPARADAS NAS FRONTEIRAS DA VENEZUELA E DA COLÔMBIA COMBINADAS COM AÇÕES ARMADAS DO MST E DAS MILÍCIAS DOS BOLSISTAS FAMÍLIAS (INCLUINDO BANDIDOS DE CARREIRA) QUE ESTÃO SISTEMATICAMENTE SENDO FORMADAS NAS GRANDES METRÓPOLIES. ESTAMOS SENDO GOVERNADOS POR UM COVIL DE BANDIDOS QUE TRANSFORMOU OS PODERES DA REPÚBLICA EM LACAIOS DE UM PROJETO DE PODER FACISTA-COMUNISTA PRESTES A SE CONSOLIDAR NO PAÍS."

Não vou me prender a detalhes ortográficos, nem saber quem são os tais economistas independentes. Também ignorei as premonições sobre levantes comunistas com atuação de guerrilheiros colombianos da FARC e venezuelanos, ou mesmo das poderosas forças armadas do MST ou do exército de Brancaleone dos beneficiados do Bolsa Família. Desconheci, ainda, como pode haver um regime fascista (com sc) e comunista ao mesmo tempo. Sempre me pareceram tão antagônicos, devo estar desatualizado em ciência política.
Mas resolvi pesquisar alguma coisa sobre o pretenso autor. Pensei que um general do exército não seria capaz de escrever tantas asneiras em tão poucas linhas. Jurava que era um fake querendo desmoralizar a instituição.

Aí encontrei uma página (http://www.militar.com.br/artigo-2917-Ordem-Negra#.UqZLV_RQHto) citando a criação de uma organização paramilitar chamada Ordem Negra, cujo objetivo declarado é o combate a "grupos de esquerda que atuam neste governo e os simpatizantes da instalação do comunismo através do Foro de São Paulo."

Fiquei apreensivo com essa brincadeira de capa-espada. Ao se autodeclarar uma organização paramilitar já viola o disposto na Art 5o.  XVII da Constituição.
Aí vi o lema de tal organização. Pasmem. Meine Ehre heißt Treue. O mesmo da SS nazista. Pensei comigo, von Brenner, seria algum general da elite prussiana? Mas o Mário Márcio afastou essa hipótese.
Duvidam? Transcrevo aqui a proposição, para que nem se dêem ao trabalho de acessar o link (http://www.militar.com.br/artigo-2917-Ordem-Negra#.UqZLV_RQHto):

"ORDEM NEGRA

Nosso lema: "Meine Ehre heißt Treue" ("Minha honra chama-se lealdade").

A "ORDEM NEGRA" é uma organização paramilitar brasileira que foi criada recentemente e tem como objetivos combater os grupos de esquerda que atuam neste governo e os simpatizantes da instalação do comunismo através do Foro de São Paulo.

Devido à gravidade política e o alto índice de corrupção no Brasil por parte de nosso políticos, achamos por bem criarmos esta organização. Depois das manifestações pacíficas coordenadas pela maioria dos grupos patrióticos brasileiros, e não havendo uma correspondência de atitudes por parte das FFAA, nos reunimos e decidimos pela criação desta organização paramilitar por tempo indeterminado a fim de combater as mazelas deste regime e proporcionar ao povo brasileiro o estabelecimento da democracia conforme determina a nossa constituição.

Esta instituição paramilitar se regerá pela honra, pela lealdade aos princípios democráticos, pelo respeito à constituição e pela luta permanente em prol da sociedade brasileira, livrando-a da escravidão vermelha que querem nos impor. Somos contrários à permanência de cubanos, de agentes infiltrados de esquerdas revolucionárias, instrutores das FARC que estão atuando nas regiões fronteiriças, bem como de anarquistas a serviço deste governo.

Rio de Janeiro, 01 de setembro de 2.013 ( Semana da Independência do Brasil )

Mário Márcio Von Brenner
Pres. CNM – Comunismo Jamais

INFORMATIVO DO GRUPO ORDEM NEGRA NO BRASIL:

Informamos a todos interessados em participarem como membro do Grupo Paramilitar "ORDEM NEGRA" que estamos em fase de organização e em breve comunicaremos como procederem o seu ingresso.

Estamos criando uma fan-page onde passaremos o nosso endereço do site para que todos tenham acesso e se informem de todos os passos necessários.

Rio de Janeiro, 19 de setembro de 2.013

Mário Márcio Von Brenner
Integrante da ORDEM NEGRA NO BRASIL.
"

Não sei quem é esse von Brenner, nem se é general e nem qual o tamanho de sua constelação de estrelas. Mas não é somente um imbecil  ou um guri brincando de espadachim. É um meliante perigoso que ultrapassa o limite do campo das idéias pensando que pode criar organizações paramilitares. É um despreparado em ciência política - um ignorante mesmo nesse assunto, uma péssima pitonisa metida a vivandeira, um radical inconsistente e, pior de tudo, um desmoralizador de uma instituição respeitável de nosso país, o Exército. Opinasse como cidadão, mas não conspurcasse a caserna com suas idéias esdrúxulas. Que lhe ferisse a dignidade assinando seu terrorismo verborrágico como general..

Talvez esteja acometido de alguma disfunção mental (nem sei se senil ou de nascença) que lhe oblitere a capacidade de raciocinar com clareza. Nesse caso, e somente nesse, que não se sinta atingido em suas bochechas por minha luva. Deixo-lhe escolher as armas. A escrita ou a falada. Mas recuso que adote uma foto de Hitler como padrinho.
Aí não.











sexta-feira, dezembro 06, 2013

Ligações Perigosas

Desculpem, Zé Dirceu não comete ingenuidades. Não consigo avaliar suas atitudes sem considerar sua inteligência estratégica, buscar o sentido oculto, as intenções reais nesse grande jogo de xadrez que é a política. Goste-se ou não dele, concorde-se ou não com seus atos, Dirceu tem que ser respeitado por sua inteligência e obstinação. Dirceu é enigmático.

O emprego no St. Peter, suponho não seja tão explícito, cristalino, cartesiano. Seria um erro primário, tipo de erro que não faz justiça ao estrategista.
Choca pelo segmento. Pelo salário. Pelo convite.
Não deu outra. O sentimento geral é de que tenta uma esperteza, um artifício alternativo à cadeia. Seria essa leitura que queria que fosse feita?
Taí, admito que sim. Sabia que iriam cair de pau, que a imprensa tradicional iria se agitar, que as redes sociais iriam ferver.
Mas, pra quê? O que ganharia com isso?

Aí entra a segunda parte.
Sabia que rapidamente chegariam a constatações que fugiram aos órgãos de controle de lavagem de dinheiro. Chegariam ao laranja que aparece como sócio desse hotel, o panamenho Jose Eugenio Silva Ritter, auxiliar no escritório Morgan y Morgan, considerado especialista em operações offshore, e dado pelo Jornal Nacional como dono do hotel. Evidentemente sabia que o mesmo escritório haveria formatado  outras empresas, ditas familiares, vinculadas a Eduardo Paes, prefeito do Rio.
Também não lhe teria passado despercebido que a Abril - dona da Veja, figadal inimiga - também negociou com a mesma empresa dona do St Peter as permissões da TVA em 3 grandes centros, pelo menos.
E o novelo começa a ser desenrolado, ou enrolado em outras figuras de proa da política nacional. Surgirá seu alvo? As operações que envolvem essa empresa serão investigadas e a lavanderia de dinheiros desviados será arrombada?
Se for, atingirá somente desafetos ou pode ser também algum recado que queira transmitir?

Feita a quizumba e trazido certamente trepidações a muitos com mãos leves, incluindo nas editorias e nos partidos políticos, renunciou ao pedido de trabalho no hotel. O tal emprego, ao fim e ao cabo, talvez seja o que menos lhe interessasse mesmo.

Qual a real intenção de Zé Dirceu?

Fotomontagem de www.brasil247.com