domingo, maio 18, 2008

NY Times - De quem é a Amazônia?

O jornal americano The New York Times, em reportagem sob o título "De Quem É a Amazônia, Afinal?", de autoria de seu correspondente no Rio de Janeiro, afirma que "um coro de líderes internacionais está declarando mais abertamente a Amazônia como parte de um patrimônio muito maior do que apenas das nações que dividem o seu território" está causando preocupação ao Brasil.
Já em 1989, o ex-vice presidente americano Al Gore havia declarado que "ao contrário do que os brasileiros acreditam, a Amazônia não é propriedade deles, ela pertence a todos nós". "Esses comentários não são bem-aceitos aqui (no Brasil)".
Esse conjunto de declarações sobre o assunto ecoam as pressões que governos brasileiros sofreram e sofrem para promover a internacionalização da amazônia brasileira. São as mesmas pressões que reduziram a 20% a área economicamente aproveitável para as propriedades rurais na amazônia; que criaram parques e áreas de proteção infindáveis; que promoveram o deslocamento e assentamento de comunidades indígenas para instituir reservas em áreas de riqueza mineral estratégica; que reduziram Roraima a 54% de seu território; que expulsam brasileiros; que criam o conflito na chamada Raposa-Serra do Sol.
O Brasil vive momento dúbio. A comoção criada pela imprensa internacional, logicamente financiada pelos interesses econômicos envolvidos, decorre de intenso bombardeio de idéias na população global. Não tenho dúvidas que o habitante médio de todos os países com acesso às informações, do primeiro e do terceiro mundos, consideram que o Brasil destrói a amazônia, que chacina índios, que assassina trabalhadores rurais. A imagem de destruidor está formada, com ajuda de brasileiros, alguns éticos, outros nem tanto, a exemplo de Osmarina Silva, na formação, manipulação e difusão desses conceitos e na criação de factóides tipo Chico Mendes ou "nação" ianomami.
Enquanto o Brasil tenta - sem sucesso evidente - contrapôr-se a essa tendência de opinião, combate pelos biocombustíveis, como forma de conter o aquecimento global.
Nós mesmos, os brasileiros medianamente informados, adquirimos a sensação de que o Brasil não cuida da amazônia, de seu meio-ambiente, de sua natureza.
Se nós, na média, acreditamos nisso, como poderemos nos mobilizar em contrário?
Não faltará muito em que tenhamos correntes internas significativas a defender a internacionalização de nosso território. Nossa imprensa, majoritariamente dirigida a partir de São Paulo e Rio de Janeiro, não é capaz e nem interessada na difusão de nossos interesses.
Enquanto Guarujá e Ipanema forem brasileiras, tudo bem!
Viva a alienação!

1 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Hoje o assunto foi abordado com mais veemência no Jornal da Band e em comentário de Joelmir Beting.
Rita

9:16 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home