segunda-feira, dezembro 03, 2007

Vozes de Bom Senso

O Juiz Federal Carlos Alberto da Costa Dias, em Florianópolis, sentenciou que quota para negro é ilegal por violar o princípio constitucional da igualdade e concede igualdade a branco em vestibular da UFSC. “A supressão de vagas ao não-negro viola o princípio constitucional da igualdade, sem que haja real fator para privilegiar o denominado ‘negro’, em detrimento do denominado não-negro", fundamentou.
Todos sabemos não ser possível precisar quem é negro ou não no Brasil. Em Brasília registrou-se o caso surrealista de, entre dois gêmeos idênticos, um ser considerado negro e o outro não pelos peritos avaliadores rosemberguianos da UNB.
Prossegue o magistrado: “Diferentemente do que ocorre nos Estados Unidos da América, a miscigenação entre os denominados ‘brancos’ e ‘negros’ torna a identificação por fenótipo absolutamente inconsistente”. E continua: “Se há dívida social —como de fato há— não é exclusivamente com o negro, mas com toda a universalidade dos que estejam socialmente em desvantagem” e avalia que o menor acesso estatístico de negros à universidades não é sua condição racial, “mas o fato de o ensino público anterior ao vestibular ser de má-qualidade e a sua condição social, eventualmente, não possibilitar dedicação maior aos estudos, ou outros fatores que devem ser melhor estudados e debatidos”.
Correto o Meritíssimo. Está na hora de acabar com essa discriminação em nome de um resgate social. Façam quotas em função de classe social, do que quiserem, menos em função de raça, sexo ou crença, essas sim cristalizadoras de discriminação.
Falou o bom senso.
Que também emergiu na Venezuela, onde a população recusou a proposta de redução de seus direitos e garantias cidadãs.
O bufão bolivariano recebeu um sonoro não às pretensões ditatoriais e, de tabela, enfático recado foi dado a seus pupilos na Bolívia e Equador.
A mídia tem enfocado insistentemente a possibilidade de reeleições sucessivas como o ponto fundamental. Está errada a mídia. Não é isso que caracteriza ou não um sistema democrático. Até pouco mais de 50 anos atrás, nos Estados Unidos, era possível esse fato sem que ninguém o avaliasse como anti-democrático. Já a limitação dos direitos individuais a critério do governante, a possibilidade de redisposição territorial a seu bel-prazer para atender interesses políticos imediatos, os limites à opinião e divulgação por uma imprensa livre, mesmo que represente interesses, a prisão política, a mudança de eixo de suas forças armadas, da defesa do país à defesa da revolução bolivariana etc, isso sim caracteriza a vontade fascista do boquirroto.
O povo venezuelano ecoou, nas urnas, o "porque não te calas".
Foram vozes do bom-senso. Lá e cá.

1 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Concordo plenamente nos aspectos abordados.

9:18 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home