sexta-feira, fevereiro 02, 2007

Vitória de Pirro

A primeira vista, Lula foi vitorioso na eleição para a presidência da Câmara. Venceu o candidato do mesmo partido, do mesmo Estado e que foi líder de seu governo no primeiro mandato.
Bem, fica um pouco a dúvida, já que seu opositor também foi seu líder, além de responsável pela articulação política entre o Executivo e o Legislativo. Aparentemente, seu amigo pessoal. E mais, foi eleito em substituição a Severino com apoio explícito do Planalto, num momento de quase crise.
Ora vejamos. Coisas da política.
Na realidade, Lula experimentou uma derrota. Seu candidato in pectoris era Aldo. E o raciocínio é simples.
A eleição de Aldo reduziria a força do PT paulista, corrente majoritária (leia-se Zé Dirceu/Berzoini) e as conseqüentes pressões sobre seu governo. A vitória de Aldo representaria um refreamento no apetite petista.
Lula pretendia governar com uma coalizão, na qual o PMDB teria papel preponderante. Os claros sinais dirigidos ao PT noticiavam a redução de sua participação no primeiro escalão do governo. Por essa razão, Lula aguardou essa eleição para recompor seu ministério. O faria com mais independência.
Aldo é de um partido tão pequeno quanto sua capacidade de pressionar. Muito menor do que a do PT. Com a vitória de Aldo, Lula governaria não com, mas apesar do PT. Essa é a realidade.
Por isso, a eleição de Chinaglia tem-lhe sabor de derrota. A candidatura de Chinaglia foi uma rebelião contra o Presidente, foi uma demonstração de força.
Está bastante claro que Lula teve sua dependência do PT aumentada. por conseguinte, reduzida sua autonomia governamental.
Isto explica porque o PSDB elegeu Chinaglia. Não nos iludamos, foi eleito com o voto dos peessedebistas - só 18 votos de diferença, ou seja, 10 deles teriam invertido o resultado - com objetivos muito claros:
a - enfraquecer o poder de Lula;
b - vincular a imagem da presidência da Câmara ao Governo;
c - fomentar a discórdia na base aliada, intrigando as partes, criando e amplificando uma possível defecção de Lula à candidatura Aldo;
d -divulgar por todos os meios possíveis que Chinaglia foi eleito pelo apoio dos ditos deputados mensaleiros;
Os caciques emplumados do PSDB já haviam percebido essa oportunidade política desde o início. Não foi por acaso seu apoio a Chinaglia na primeira hora. A candidatura Fruet cumpriu somente o papel de dar-lhes um palanque para difundir as vinculações - falsas ou verdadeiras, não importa - no contexto das razões acima alinhavadas.
Foi um golpe de mestre da oposição.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home