quarta-feira, janeiro 03, 2007

Terrorismo II - A Cara de Pau

Foram publicadas no site do Terra as declarações abaixo (sic), atribuídas ao Juiz Walter Maierovitch, rebatendo e criticando Lula:

"Aqui não tem Bin Laden. Existem, sim, líderes que querem lucrar com atividades ilegais ou benefícios na prisão, como o Marcola, do PCC. Ele e os que se uniram para atacar no Rio não têm ideologia. Essa diferença é básica, mas o presidente não sabe disso."

"O Lula tinha de ser protagonista, mas fez como os outros: deixou o problema para os Estados, omitiu-se. Devia saber que crime organizado não é terrorismo e não é crime comum e que precisa de leis especificas, de um bom órgão coordenador. Se quiser acertar, tem de começar tudo de novo."

"É revoltante para especialistas ver negociação de tropas com viés político, ver o Lula depois de um mandato inteiro confundir terrorismo com crime organizado, ver o adversário dele na eleição falar da operação Maõs Limpas da Itália como combate ao crime organizado, quando falava de combate à corrupção partidária. Nenhum deles entende direito do assunto".

Pois é, parece que quem entende do assunto é ele. O referido cavalheiro já foi Secretário Nacional Anti-Drogas. Que droga!
A mim dá a impressão que se trata somente de declaração de cunho político-partidário. Se o Lula declarasse que não é terrorismo, possivelmente ele contra-argumentasse. Aliás, isso fica exatamente na linha de seu chefe, o FHCalabar, que também se declarou pasmo pela impunidade que assola o País, em especial quanto aos escândalos políticos.
FH, esclerosado pela vaidade, esquece-se do episódio da compra de votos para a reeleição; dos escândalos das privatizações (limite da irresponsabilidade, lembram-se); dos meninos prodígios do Mendonça de Barros (a corretora conduzida por dois meninos que conseguia "adivinhar" as oscilações das ações das Teles); de todas as CPI que barrou. Corre o risco, pois consta que no famoso dossiê aparece seu Min. da Saúde acompanhado dos deputados sanguessugas e dos Vedoin. Mas, agora, é vestal do templo.
De FH até se entende. Enquanto políticos são picados pela mosca azul, ele é a própria. Vaidade sem limites.
Mas o Sr Maierovitch, um Juiz de Direito, um homem que foi responsável pela formulação de uma política anti-drogas no Brasil (com absoluto insucesso, é verdade), entrar nessa canoa furada é dose pra mamute.
Duvido que essa opinião infeliz represente a maioria da magistratura. Mas, a minoria que concorda com ela é um dos responsáveis pela escalada da violência. Provavelmente, são os mesmos que concedem indultos a bandidos que aproveitam a saída para "conseguir recursos" e pagar suas dívidas com advogados; os mesmos que relutam na aplicação de penas severas; os mesmos que descriminalizam os usuários de drogas e que são a maior fonte de renda do tráfico etc.
Se desestabilização de instituições pelo medo não for terrorismo, não sei o que será. O que ganham os terroristas em incendiar ônibus; em decretar fechamento do comércio; em atacar seletivamente a polícia; em executar justiçamentos? Dinheiro? Bens? Fugas?
Não. Ganham poder pela intimidação. Quando incendeiam um ônibus, metralham Câmaras de Vereadores; assassinam policiais de folga, enfraquecem as instituições pelo medo, auferem lucro? Não, ganham poder.
Mas, na opinião do Sr Maierovitch, isso não é terrorismo.
Quando se faz um retrospecto e se verifica que mentalidades como a desse juiz já comandaram (e talvez comandem) importantes setores da segurança pública, dá até para entender a enrascada em que estamos.
O pior é que ele se considera um especialista.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home