domingo, abril 24, 2011

Ventos Colonialistas

O conselheiro político da OTAN Anthony Stroup resumiu em uma frase a agressão à Libia: "Não se esqueçam, nós somos os bons."

Será necessário algum outro argumento para classificarmos de vez a guerra desencadeada como colonialista? Não seria com afirmações desse tipo que se capturavam escravos, dominavam-se países, roubavam suas riquezas?

Seria com essa mesma arrogância que aztecas foram dominados e martirizados, os maias e os incas, os sioux, comanches, nossos guaranis, carijós e demais povos? Isso para não fugir das américas. A cada morte inflingida, a cada execução praticada, não seria essa mesma mensagem que queriam incutir na mente dos povos dominados?

- Cuidem-se e nos obedeçam, nós somos os bons.

Não o são, definitivamente. Antes, os covardes. Usam sua tecnologia bélica para atacar e amedrontar países que podem ameaçar seus interesses de hegemonia. Países esses que financiaram seus padrões de vida, pela expoliação e colonialismo.

E fica a dúvida no ar. Quando será o Brasil a bola da vez?

Claro. Temos riquezas cobiçadas e poder militar insuficiente de promover nossa própria defesa.
Quando, por dinheiro ou não, grupos de brasileiros declararão guerra a nosso próprio país e o neocolonialismo, oculto por uma dessas organizações internacionais espúrias, tipo ONU, OEA e OTAN comandará seus ataques ao Brasil. Sem dúvida, a campanha de mídia internacional estará a seu lado, mascarando e rotulando as ações como politicamente corretas.

Por acaso a Líbia não é um estado reconhecido internacionalmente? Nós também.
Por acaso a Líbia não dispõe de riquezas, mas pouca capacidade de defesa? Nós também.
Por acaso a Líbia não encerra grupos descontentes com a ações de se governo? Nós também.
Por acaso, essas ações podem estar interligadas pela diversidade ético-tribal, a ser explorada pelos inimigos? Também pode ser o nosso caso.

Não se trata de defesa ou não de Kadafi. Trata-se da defesa da soberania de um país que está sendo atacado por uma coligação - a mais poderosa militarmente do mundo e de menor ética do universo - e que abre perigosíssimo precedente, que nos ameaça.

É possível que as mesmas mãos que hoje a aplaudem no Brasil, tenham que implorar clemência a nossos dominadores, no futuro.

Pensem nisso!

1 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Não é à toa que a Inglaterra financia os grupos de oposição à Belo Monte, utilizando possível genocício indígena.

7:32 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home