terça-feira, outubro 09, 2007

Tampa e Balaio

Tenho procurado neste espaço, ao falar de atos do atual governo, manter a insenção da análise, abdicando ódios e paixões tão comuns nas discussões políticas. Não raro os elogios superam as críticas, em parte por considerar o governo Lula melhor do que os anteriores recentes, em parte para contrabalançar o irracionalismo de algumas opiniões.
Porém, cai hoje mais um sustentáculo que o diferenciava de governos anteriores. Na Bovespa serão leiloadas concessões de trechos de rodovias federais.
Embarca Lula na mesma canoa dos pseudos-liberais tucanos. O Estado, nele incluída sua infra-estrutura, é simplesmente um negócio a mais, não um fator de desenvolvimento social e humano.
As rodovias foram construídas com os impostos extorquidos da população. Grande parte delas - sua imensa maioria - retificadas e pavimentadas ainda nos governos militares, os mesmos contra quem se move surda e raivosa campanha de aleivosias mas que foram suficientemente competentes para construí-las e perceber seu sentido estratégico.
Seguindo o exemplo tucano, Lula considera que seu governo é incompetente para gerí-las. Com o apoio do capital e da mídia, então, concede sua operação pelos próximos 25 anos a empresários.
Hoje no Bom Dia Brasil foi afirmado que, nas rodovias já privatizadas, o número de acidentes reduziu-se em 21%. Pode ser, dado que estradas bem mantidas reduzem o risco. Agora, por que razão os malditos departamentos estatais não conseguem mantê-las? Pelo simples fato de que são antros de corrupção, de formação de caixinhas, caixas-dois, caixas-três, fazendo sobrar para nós somente os caixões. Explica-se assim a sanha dos políticos e partidos em lotear cargos, chantagear votações, empregar afilhados. É um grande negócio.
Lula assumiu com outra proposta, a de encerrar esse modelo político, a de privilegiar a carreira pública, a de fortalecer o papel do Estado. Não é isso que fez no primeiro mandato, não é isso que está fazendo no segundo.
Se a iniciativa privada quer explorar estradas, nada contra. Leiloem-se concessões para a construção de novas e deixe o usuário optar pelo custo-benefício. Mas pra quê, se só falta comer o bolo.
A manutenção desse modelo de transferência do papel fomentador do Estado para o campo dos negócios é tudo o que eu não gostaria de presenciar no governo Lula.
Infelizmente, mostra-se vinho da mesma pipa, farinha do mesmo saco.

1 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Ele perdeu o meu aopio exatamente porque se mostrou infiel a todo o seu discurso.
Não é persegução da zelites, é simplesmente a constatação de temos mais um sem vergonha na lista.
Igualzinho a seu antecessor.

10:58 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home