domingo, novembro 15, 2009

FHCalheiros

Na época, ultrapassaram coxias e cortinas os rumores de filho do então senador FHC com a jornalista Miriam Dutra, da Globo.
Não é segredo o caso. Em 94, havia rumores de que a jornalista teria passado a ser correspondente da Globo na Espanha, retirando-a do cenário nacional e evitando constrangimentos ao recém eleito presidente. Dizia-se à época, que o casamento com D. Ruth era somente fachada, pra fazer-de-conta.
Sem moralismos e sem julgamentos hipócritas. O problema era somente dele e da jornalista e, nesse caso, aplausos para ela, diferentemente do episódio Renan.
A bem da verdade, o exílio voluntário da jornalista deve ter tido o efeito colateral de uma situação financeira confortável, pago pela Globo ou pelas privatizações, sei lá. O pimpolho concluiu, ano passado, o curso no Imperial College, em Londres, com direito à presença paterna na solenidade de formatura.
O reconhecimento tardio em tudo é coerente com a personalidade e o duvidoso caráter do ex-presidente. Hábil em esconder-se de exposição que lhe possa arranhar a imagem de prócer, FH não é e nunca foi confiável. Agora mesmo, quando vê fantasmas ameçarem nossa democracia, essa visão não é coisa outra do que a manifestação do despeito e o temor ao ostracismo.
FH é assim. É de sua natureza.
Muita pedra jogou-se em Renan. Mas este enfrentou o desgaste de peito aberto, mesmo submetido à chantagem. Não foi o caso do FHC, que contou inclusive com a proteção e blindagem da Globo. Mas FH ganharia se trocasse, em seu comportamento, o Cardoso por Calheiros.
Mantida a inicial e a sigla, pelo menos seria mais honesto.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home