sábado, fevereiro 17, 2007

Lulices

Lula, quando não se sente ameaçado, fica impossível. Começa a falar bobagem em seus improvisos. Como diz Gabeira, a única forma de não se ficar com raiva dele nesses momentos é não levá-lo a sério.
Ontem aprontou mais uma. Defendendo a manutenção da maioridade penal vigente - até aí direito dele - afirmou que "daqui a pouco, essa gente vai querer penalizar até os fetos".
A afirmação é de uma imbecilidade antológica e, como ele garante que não faz discurso etilizado, não pode ser levado a sério.
Em primeiro lugar, não se tem notícia que algum feto tenha abandonado o útero materno para cometer um latrocínio e retornado ao abrigo natural. Sequer masurpiais o são, os humanos.
Depois, esquece-se que, no atual sistema, os fetos são penalizados, sim. Não são poucas as mulheres grávidas assaltadas, estupradas e mortas por menores criminosos. Não são poucos os fetos que, ao nascerem, são órfãos porque seu pai foi morto, assaltado por menores criminosos. E que passarão fome e não terão assistência do Estado, diferentemente dos menores criminosos que têm casa, comida, lazer, assistência psicológica e, nas horas vagas, a diversão de promover quebra-quebras e rebeliões ocasionais.
Os menores criminosos são utilizados por quadrilhas de maiores criminosos para estenderem a si a impunidade legal. Deixando o serviço sujo para os menores, livram-se de penas mais severas. Esses menores, um dia, serão maiores e utilizarão o mesmo artifício. É um círculo vicioso sem fim.
Cadeia não foi feita para recuperar ninguém. Qualquer código penal foi feito para dar medo, para desestimular o crime pelo medo da conseqüência.
Código Penal não foi feito para amedrontar o cidadão de bem. Foi para protegê-lo.
Sabe o leitor que se matar um assaltante em sua casa será processado por homicidio? Sabe que se, porventura, o assaltante virar-se no exato momento e a bala atingir-lhe as costas, não poderá alegar sequer legítima defesa? Da mesma forma, se o tiro atingir-lhe a cabeça?
Tudo isso é uma grande palhaçada e, no final, todos merecemos exatamente isso que está acontecendo.
A indignação popular restringe-se a camisetas brancas com pombinhas, passeatas hipócritas pedindo paz e missas de sétimo dia recheadas de políticos a cada crime que comova a população. E só. Se fizerem uma enquete, verão que a população é contrária à pena de morte, a trabalhos forçados etc, e que acredita que a culpa é das cadeias porque não reabilitam esses bandidos. Pelo menos é o que a elite pensante diz e as televisões divulgam, como verdade absoluta.
Banalizou-se a violência. Não mais choca a todos nós. Faz parte de nosso dia-a-dia. Se acabasse, talvez até sentíssemos falta dela.
- No meu tempo - contaria o avô aos netos - é que era bom. A gente saía sem saber se voltaria vivo. Adrenalina pura, não essa chatice de hoje em dia.
Com tudo isso, é bom aceitarmos logo que o crime compensa! E pararmos de dizer da boca pra fora, de ensinar para nossos filhos, o contrário.

2 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Eu devo ser mesmo muito ignorante, pois nunca havia escutado falar sobre "punicão penal a fetos"....
Como eu, cidadã do bem, não posso concordar mesmo com esta idéia. Onde já se viu alguém querer indiciar criminalmente fetos?
Sugiro acatarmos a sugestão do presidente: punição aos culpados maiores de idade.
Quem são?
São todos os cidadãos brasileiros maiores de 25 anos não criminosos, pois segundo ele, os menores de hoje são vítimas da sociedade que há 25 não faz nada para oferecer dignidade os menos favorecidos.
Custei a entender, mas conclui:
quem mata é a vítima e o morto é o culpado. Seria isto uma pena de morte aos aos culpados,sem julgamento, mas merecida, executada pela vítima, que parece ser culpada, mas jamais será julgada nem condenada, mas com legitimidade sociologica.
Face a brilhante dedução do presidente, eis que surge a brilhante solução:
Vamos colocar na cadeia todos os brasileiros maiores de 25 anos que não cometeram crimes previstos no código penal. A estes cabe a responsabilidade pelos menores infratores, que na verdade são as vítimas.
Morte aos culpados!!!!!!!!!
Quem viver verá!

12:18 PM  
Blogger Frega Jr said...

Brilhante a dedução. Desde já ofereço minha cabeça como punição de ter somente trabalhado por 40 anos, de ter criado meus filhos, de ter cumprido meu papel social etc. Ou seja, por ter sido a pessoa de bem, no conceito que me foi incutido por meus pais.
Isso faz todo o sentido, pois estou sendo processado por um Tribunal de Faz-de-Contas por ter cometido o erro de ter agido corretamente.
Tudo isso sé reforça minha conclusão que no Brasil o crime vale a pena.

12:54 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home